domingo, 9 de dezembro de 2007

Concerto em Arcoverde

O concerto de Arcoverde foi realizado na antiga estação ferroviária. Abandonada durante anos, ela foi “invadida” por um grupo de teatro, depois outro e mais outro... e hoje funciona como um teatro, um pouco precário, é bem verdade, mas cheio de charme. O Miro, do SESC, fez o possível para que nos sentíssemos à vontade. Não há camarim no espaço estação, apenas duas amplas salas de pedra. Ele arrumou uma das duas com cadeiras e mesinhas bem postas, que o Alessandro se encarregou de encher de guloseimas: biscoitinho salgado, croissant, queijo e presunto, canjica, pamonha, frutas, soda limonada e água. Um luxo só. O Alessandro caprichou, mesmo, trouxe toalhas vermelhas, pratinhos, até palitos e guardanapos... Banheiro não há, mas o Miro, previdente, já havia combinado com um barzinho das redondezas para que a gente usasse o banheiro de lá se fosse necessário. Até cadeiras confortáveis eles trouxeram para nós. O público era ótimo, super atento e entusiasmadíssimo. Ficamos todos encantados com uma menininha de 8 anos, a Vitória, que prestou atenção no concerto todo com real interesse, e exibindo um sorriso tão bonito que fazia a gente querer parar de tocar para lhe dar um abraço. Depois descobrimos que o pai e o irmão dela também estavam lá. O irmão, o Norton, ainda um menino, nos disse que toca saxofone, e que gostou muito do concerto, “diferente do que costumam trazer para cá”. Muito fofos...
Aliás, a Naruna, responsável pelo SESC de Buíque, e que não havia podido ver nosso concerto lá, veio no concerto de Arcoverde, e ainda trouxe a filhinha, Érica. Muito gentil, mesmo.
A sala tem uma acústica muito boa, e possibilidades de se tornar um teatro verdadeiro, se os idealistas daqui encontrarem um mínimo de apoio. Tomara que as autoridades locais percebam a importância de encampar uma idéia que tem tudo para florescer.

6 comentários:

Cristina disse...

Já estou um pouco perdida. Voc~es estão na Paraíba?

Layla disse...

voces podiam ter tirado umas fotos destas crianças... que pena! Eu vivo perdendo oportunidades de tirar fotos por não estar com a máquina... c'est la vie!

jaqueline martins disse...

Está vendo, não tinha conforto,mais tinha boa vontade e muita imaginação e criatividade. Quando pessoas interessadas e acolhedoras estão no comando,tira-se água de pedra.
Estou muito orgulhosa de vcs, seres humanos especiais. Acostumados com seu próprio conforto, não reclamam das condições, as vezes, precárias de hotéis e local de apresentação. As vezes por causa de certos preciosismos, pessoas carentes, mas também apreciadoras de boa música, não podem ter acesso a um artista, a cultura. Olho a foto de vcs aqui, e vejo 4 sorrisos, 4 corações, 4 almas,com uma única intenção, levar boa música a quem quizer ouvir. Um grande abraço e bjs mil.

renata v.n. disse...

É...
Calor humano é tudo mesmo: se a gente se sente benvinda/o, circunstâncias inóspitas simplesmente não são relevantes...
Bjs,
Renata.
P.S.- Que mesinha,hein,Laura?Só faltaram as mariolas,rsrsrs(...).

laura r. disse...

Layla, tiramos fotos da Vitória, sim. Só não consegui postar!

marcela disse...

Meu Deussss eu nao tenho nem palavras pra elogiar esse grupo...
E a Laura então...
A leveza e a intimidade dela com o instrumento é uma coisa simplesmente fantástica...
Meus mais sinceros parabens ao grupo.. a intimidade deles uns com os outros..o jeitinho manso de falar..


Parabenss...
Voltem...!!!



E voltem loguh!


Parabens de novo!