segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Em Vitória da Conquista


Na praça principal já é Natal...

Saímos de Feira de Santana de manhã, com amplo tempo para chegarmos ao aeroporto de Salvador, no qual pegaríamos o vôo de 13:45 para Vitória da Conquista. Amplo tempo, em condições normais. Só que, na estrada, pegamos um engarrafamento monstruoso, causado por um desastre envolvendo três caminhões. Chegamos esfalfados, às 12:20. Corremos para o balcão da Ocean Air... apenas para descobrirmos que o vôo estava super atrasado. Previsão de chegada do avião às 16:40...
Mais ainda: descobrimos que a Ocean Air não podia remeter nossa espineta como bagagem, mas apenas (novamente!) como carga. Felizmente, como estamos ficando mais espertos, não havíamos ainda dispensado o S. Angelo, de modo que pedimos que ele levasse a espineta para o outro terminal e a remetesse como carga.
Às cinco horas embarcamos, apreensivos. Afinal, o concerto era às oito. Será que daria tempo?
Também estávamos apreensivos por que o avião era mínimo, um Fokker 50, entupido de gente.
Mas o piloto era ótimo, e chegamos direitinho, às 18:45.
Nós chegamos... mas a espineta, não! A mocinha da Ocean Air nos explicou que nosso instrumentinho ficara em Salvador, "porque não cabia no avião". Juro!
A Andrea, do SESC de Vitória da Conquista, ficou beige. Mas nos largou no hotel para um banho a jato, e foi tentar arranjar algum tipo de teclado para substituir a espineta. E não é que conseguiu?
Às oito da noite, miraculosamente, chegamos ao Teatro, junto com o Tiago, o anjo da guarda que nos emprestou seu teclado Roland para o concerto. Mais uma vez, a super Sula enfrentou galhardamente o desafio de tocar um recital inteiro num instrumento que ela não conhecia e no qual não havia podido tocar uma nota sequer, antes do concerto! Só ela, mesmo!
O público era o máximo, eminentemente jovem, e com vários músicos entusiasmados, inclusive o Marcos Ferreira, que eu conhecia lá do Rio, o Andrade (um sanfoneiro daqui) e o Nozinho, além de dois irmãos gêmeos simpaticíssimos, o Leandro e o Leonardo, que tocam piano e violão.
Na saída, mais um pequeno incidente: pedi ao Mário para fotografar o imenso Outdoor que estava na entrada do Teatro (como sou muito baixinha, não conseguia arranjar um ângulo decente). Na hora em que passei a máquina para ele, ela escorregou, e numa espetacular operação de salvamento o Mário se jogou ao chão com mais élan do que jogador de futebol tentando evitar um gol em copa do mundo. Resultado: a máquina caiu, ainda assim, e o Mário também se estatelou, coitado!
Mas para a história acabar com final feliz, nem o Mário nem a Samsung se machucaram!
Tá aqui a prova, a foto tirada depois do incidente (prova que a máquina funcionou e que o Mário ainda estava vivo!):

7 comentários:

Manoela disse...

Mãe!
saudades...
nem arranhou a máquina?
Te amo!

Boa Idéia disse...

Acho que, na próxima turnê, a Sula vai ter que optar por outro instrumento ou, quem sabe, levar um teclado de stand-by.
Que sorte a câmera, apesar do tombo, não ter sofrido nada.

Andrea - SESC conquista disse...

Olá..fui dormir pensando naquela aventura toda de ontem a noite, nossa e pensar que tudo deu certo.
Apesar da espineta não ter comparecido (que pena!)o teclado resolveu a situação, e o concerto ficou espetacular, na verdade espetacular também são vocês.
Este Sonora para mim ficou com gostinho de quero mais, saudades...
Aqui no SESC hoje pela manhã a resenha foi toda aquela situação, espineta, oceanair, tombo do Mario (tadinho)... e o verdadeiro show do RE-TOQUES.
Agradeço a Deus por ter pessoas tão taletosas e tão pertinho de nós.
Bjs no coração de todos...
Deus acompanhe e quem sabe nos veremos...
Andréa - SESC Conquista

jaqueline martins disse...

Minha pressão foi para o espaço sideral!!!! Gente é muita emoção, muita loucura. Novamente a mulher maravilha, vulgo Sula, se saiu bem, que bom! O Mário Negão pensou que fosse um gato com 7 vidas para gastar. E a espineta sozinha, já dá um livro, pelamordeDeus, que engonha!! Bjs. seus maluquinhos.

Joab disse...

Puxa!! O eatro onde aconteceu o concerto fica bem eprto da escola onde eu trabalho e eu fiquei um temp�o namorando aquele out door aguardando vcs. Nossa, como valeu a pena. Mais uma vez, fabuloso!! Tenho acompanhado o Sonora Brasil faz algum tmepo e, como vcs constataram no coment�rio de vcs, a impress�o que tenho � que o objetivo maior de forma�o d eouvintes vem sendo alcan�ado com sucesso. Ainda ontem, ao final, tamb�m comentava o grande n�mero d ejovens como eu que estavam por l�. Acho que as pessoas ainda atrasam muto e,se movimentam demais durante o Concerto, mas v� l�... tudo a seu tempo. Pelo menos j� h� o h�bito e, estou certo que a corriqueirice deste trar� a educa�o necess�ria para se portarem em ocasi�s de sacralidade como aquela. Puxa, vi a �ltima foto de vc em frente ao out door, mas n�o vi o lado her�i do M�rio. Risos!!!

Ester disse...

Olá! Estive em todos os concertos do Sonora Brasil esse ano e o de ontem foi certamente um dos mais bonitos. Poucas vezes me emocionei tanto com uma música quanto com "dores"... è incrível ver vocês tocando, é como se fosse uma conversa entre os instrumentos! Lindo!Parabéns!

Layla disse...

Laura, parabéns de novo. Como é bom receber tantos elogios... quanta aventura, não é mesmo?
É muita emoção! estou adorando ler isto tudo. Vai ser muito bom ter um livro publicado com toda esta excursão de Sul a Norte deste nosso imenso Brasil, para sempre folhear umas páginas e recordar tudo que passou!