quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

O Helder e o nosso motorista boa-praça, Washington (vulgo Toni)

4 comentários:

jaqueline martins disse...

O Helder está mais gordinho, ou é imprensão minha?

renata v.n. disse...

E quem,dos dois,é o homem de fé?...

laura r. disse...

Jaqueline, pelo contrário, acho que o Helder emagreceu um pouco, e não é de se espantar, ele come de modo frugal, mesmo. Mas ele está com uma barba, que não tinha no Rio...
Renata, acho que os dois. Todo o mundo em torno de mim tem fé, menos eu. Mas li o livro da Anne Rice sobre a infância de Cristo (que o Helder comprou), até por não ter outra escolha por perto. Achei a premissa interessante, mas mal desenvolvida.

renata v.n. disse...

Laura:
Não tivesse vc fé, e não estaria nessa viagem! Às vezes é questão de dar chance pra ficha certa cair, sem prevenções/preconceito/expectativa!
Para tudo sob o sol há um tempo,e vc há de ter o seu; a gente geralmente é mal-direcionada nos assuntos divinos, e depois--além de ignorantes--ficamos revoltados e/ou ateus/ou...
Bj,Renata