domingo, 9 de dezembro de 2007

Explicando meu sumiço






Não fiquem chateados com meu silêncio. Tentei ir para uma lan-house daqui, mas desconfio que a Internet deles era movida a jegue. Não consegui nem entrar nos comentários do Blog, quanto mais postar!
Bem, estamos em Arcoverde, onde chegamos ontem. Dois dias numa única cidade? Não se espantem. É que o concerto de ontem foi em Buíque, uma localidade bem pertinho daqui, mas que é tão pequena que não tem hotel. O concerto de Buíque foi no restaurante local, a bem dizer uma espécie de galpão aberto, que, sem as mesas, serviu de teatro improvisado. Nosso público eram os alunos do SESC Ler de lá, muito compenetrados e respeitosos. Por ser a platéia praticamente toda composta de crianças, mudamos um pouco o programa, e o Helder fez uma espécie de palestra ilustrada, que deu muito certo. Infelizmente a responsável pelo SESC de Buíque, a Naruna, não pode vir ao concerto. Imaginem que ela perdeu a mãe há uma semana, coitada, e a missa de sétimo dia era exatamente no dia e horário da nossa apresentação! O pior é que a mãe dela era bem jovem. Exatamente a minha idade....
A Iara, do SESC, foi quem nos recebeu, muito bem aliás, com um lanche muito gostoso, bem servido e com alguns sabores diferentes, mesmo. Um bolo/pudim de mandioca, por exemplo, com uma textura interessante e pouco açúcar, como a gente gosta.

PS: todas as fotos deste post (ótimas, não?) são da Sula, pelas razões já explicadas. Mas a verdade é que eu mesma não tirei muitas fotos de Arcoverde. A Sula, que tem um olho melhor que o meu, sempre acha várias oportunidades de fotos em lugares em que eu acho que não há nada para se ver...

4 comentários:

Anônimo disse...

Realmente uma pena não terem podido ir até o vale, pois afianço que teriam mais (e boas) visões inesperadas lá.
Pelo relato, vocês estão travando conhecimento, in loco, com o âmago do bolsa família. Pois é, é isso aí.
Boas viagens, e sons.
(Daniel)

Layla disse...

Laura, até que voce está conseguindo nos deixar acompanhar por lugares que nem imaginamos que tivessem as condições que tem de comunicação. As coisas estão melhores do que eu pensava. Um momento como este foi bem raro na sua viagem toda! O sertão está muito melhor do que eu pensava.
Ou pelo menos voce está nos mostrando isso.

jaqueline martins disse...

Êta vida dura de retirante!! Mas nós entende uai, as coisas no interior são mais difíceis. Mas a gente pergunta, porque quer saber tudo e ficamos na maior aflição. Tá perdoada! Hahhahahahah!

Cora disse...

Parabéns, Sula! Ótima fotos!