quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Mais um instrumento para a coleção....


Na feira de Caruarú a Sula adquiriu este belo exemplar para seu museu particular. Não é lindo? Feito por um artesão local, ao girar a manivela, as sementes que estão dentro produzem um som parecido com o das ondas do mar. A Sula estava na dúvida, porque a peça é bem grande, mas eu fiz campanha e acabei por convencê-la. O Helder também comprou uma percussão bem diferente, mas esta eu não fotografei.
Em tempo: O Helder está aqui do meu lado oferecendo informações adicionais valiosas.
O nome do bichinho da Sula é Roda de Sons. É baseado em um objeto Tibetano conhecido como roda de orações, dentro do qual são colocados milhares de papeizinhos contendo orações. Uma vez acionada a manivela, que faz girar o recipiente, as orações são multiplicadas pelo número de giros. Muito lindo, não é? A cabaça da Sula, ao invés de conter orações, contém as sementes que produzem som. Mas acho que contam como dupla função. Afinal, fazer música, dizem alguns, é uma maneira mais direta de orar...

12 comentários:

jaqueline martins disse...

Já fiquei até imaginando o sonzinho do mar, deve ser bem gostoso de ouvir, além de ser pra lá bonito. A Sula tem o maior bom gosto.

Renata V.N. disse...

É pena que o blog não tem som, pois fiquei imaginando como as tais sementes poderiam fazer o som do mar.Um barato...

cristina disse...

Eu quando estive em Manaus comprei um pau de chuva, que faz um belo som de cachoeira. Dizem que os índios usam prá chamar chuva.

laura r. disse...

Jaqueline, o que você falou é a mais absoluta verdade: a Sula tem um tremendo bom-gosto. A casa dela é linda, mesmo, consegue ser deslumbrante e ainda assim aconchegante, uma das coisas mais difíceis do mundo! Só vendo para acreditar. Todos os objetos são belíssimos e estão sempre arrumados harmoniosamente e de uma maneira inteiramente original. Acho que se ela fosse decoradora, ao invés de cravista, faria uma fortuna!

Mario disse...

Bem, do marido da Sula, a sugestão: re-nomear o grupo: de re-toques para re-tirantes. Não se esqueçam de que vocês terão de carregar isto tudo pelo sertão afora. De qualquer forma, adorei e também estou curioso para ouvir a peça. É óbvio que a Sula tem bom gosto. Me escolheu, afinal.

jaqueline martins disse...

Mário da Sula, vc é um convencido, mas se ela te escolheu, vc é o cara!

Layla disse...

ontem escrevi um comentário aqui e quando fui enviar, empacou e não foi... e como já eram 2 h da manhã eu desisti, desliguei o computador e fui dormir. Eu havia escrito que o meu filho comprou um instrumento, ou sei lá, que faz um som assim também: é um tubo de algo parecido com esta casca de alguma coisa, não é madeira, ou seria um tipo de bambú, não sei, não me lembro, pois ele levou para a casa dele. O som é de ondas, ou cachooeira, ou água correndo nas pedras... ele trouxe do Perú quando foi ao Machu Pichu. Uma colega, professora de música tinha um igualzinho que ela trouxe do nordeste. Eu adorei o instrumento. A Benita (minha colega) usava nas aulas de música e as crianças adoravam.

Layla disse...

Laura, agora depois de reler o post é que notei o acréscimo. O tubo que mei filho tem também é cheio de sementinhas, ou seriam pedrinhas e a idéia é esta mesma, a de orações. Esta roda de orações tibetanas ele fotorafou acho que em Katmandu, no Nepal. De lá ele trouxe um objeto para fazer orações onde se diz o tempo todo enquanto gira "omanipadmehum"...
nossa... esse meu filho tem históias para contar... ele deu a volta ao mundo... escapou do tsunami... tem muita história mesmo!

Renata V.N. disse...

Sula:
Depois dos elogios da Laura ao seu bom gosto,vc definitivamente tem que postar umas fotos da sua casa no blog qdo.voltarem!
Mario(da Sula):Fiquei visualizando a cena do pessoal carregando nas costas todas as "aquisições"feitas na viagem e foi muito engraçado,até jegue eu coloquei na estórínha,rsrs(já bem diz a Laura que resiste pq não dá pra "levar" tudo junto depois!).
Layluska:
Sócia!...Conta essa do seu filho e do tsunâmi pra gente!(Que menino viajado esse,hein!?).
Beijos a todos neste lindo sábado, porque "se a paixão existir,nem importa que seja uma via de mão única,desde que a gente se sinta vivo por isso!!!".

Layla disse...

Renata V.N.
vou ver como vou fazer isto. A história é um pouco longa e não quero ocupar o espaço no blog da Cora, nem da Laura para contar. É claro que posso contar, mas vou ver se consigo fazer isto no meu flikr... será que dá? Talvez colocando uma foto e então escrevendo tudo embaixo da foto... mas será que cabe??? vou ver esta possibilidade!

Renata V.N. disse...

Layluska:
Simplesmente amei a história como vc contou!(Já fui lá no seu flickr,mas não dá pra deixar comentário:minha conexão é péssima).
Já ao ler no início o caso do carro alugado eu pensei: este menino é 10!(Também,com a mãe que tem!!!). Ao continuar lendo(sua narrativa fluiu e foi agradável)achei o máximo o telefonema dele pra vcs "dando satisfação"/inteirando-os da mudança de planos e contando da namorada. Por último,a "coroação"do bom caráter dele, já que a mudança na rota significou a diferença entre um fim abrupto(tsunâmi) e o novo começo a que ele se propusera ao assumir a gravidez e casar-se com a garota. Vc(e seu marido)estão de parabéns,"sócia",pq se o Paulo é este cara honesto e 100./.bom caráter ele certamente o é graças aos princípios que recebeu em casa!
(Gente, vão à página da Layla ler, que é muito legal!).Bjs, Layla...

Renata V.N. disse...

Laurinha :
(agora,além de atormentar,já estou "íntima", rsrs!!).
Vc.aí com jegue-conecction e eu aqui no W98 a lenha:é fogo,né?
(mas não será isso que irá tirar nosso bom-humor...Ou será?rs).
Só pra dizer que o relógio da cx.comentário aparece com 6 horas de atraso;esta madrugada postei +- às 4 ,e saiu algo tipo 22h; agora,p.ex., são 17:30 +-.
('Cê acha que eu consigo um emprego de locutora na rádio-relógio???...).Bj,