quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Concerto em Carazinho... ;(


(a foto não tem nada a ver com nada. Mas eu achei lindo o cacto! E afinal, foi fotografado em Carazinho...)

O concerto aqui foi na ULBRA, uma universidade particular. A gente já desconfiou que algo estava errado quando, ao chegarmos, o segurança no portão não tinha idéia de que haveria um evento lá. Talvez pela situação de crise recente, por causa das chuvas, ou por falta de hábito, mesmo, mas o fato é que a escolha de local foi das mais infelizes: uma espécie de hall de distribuição, com apenas algumas cadeiras (se houvesse público, por acaso, as pessoas teriam que ficar em pé!), barulhento e inadequado para qualquer atividade que requeresse um mínimo de concentração.
Apesar da gentileza da Francine do SESC, foi uma experiência triste. As pessoas iam e vinham, de passagem, conversando, sem dar pelota para a música ou para nós. Na verdade a gente chegava a se sentir meio constrangido de estar atrapalhando a circulação dos alunos que passavam a caminho de suas aulas.
Além disso parece que não houve divulgação suficiente. Mesmo um aluno que estava no recital (e que nos falou que adora música!)disse que só acabou ouvindo a gente por acaso, pois não tinha idéia de que haveria um concerto na universidade. No final do concerto, o ping-pong estava empatado - havia o mesmo número de pessoas na platéia do que no palco!
Uma pena!

9 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Laura. Estou acompanhando vocês desde o início da viagem. Vi que vocês tiveram boas experiências em relação às platéias e outras nem tanto assim...mas fiquei triste com o seu comentário sobre este último show. Não desanimem! Foram as bruxas do halloween! Dias melhores e platéias (mais atentas, entusiasmadas, numerosas,e tudo de bom) virão! Espero, inclusive, um dia poder vir a fazer parte de uma platéia dessas. Um grande beijo para todos e pé na estrada. Vamos em frente que atrás vem gente... AdrianaOi, Laura. Estou acompanhando vocês desde o início da viagem. Vi que vocês tiveram boas experiências em relação às platéias e outras nem tanto assim...mas fiquei triste com o seu comentário sobre este último show. Não desanimem! Foram as bruxas do halloween! Dias melhores e platéias (mais atentas, entusiasmadas, numerosas,e tudo de bom) virão! Espero, inclusive, um dia poder vir a fazer parte de uma platéia dessas. Um grande beijo para todos e pé na estrada. Vamos em frente que atrás vem gente... AdrianaOi, Laura. Estou acompanhando vocês desde o início da viagem. Vi que vocês tiveram boas experiências em relação às platéias e outras nem tanto assim...mas fiquei triste com o seu comentário sobre este último show. Não desanimem! Foram as bruxas do halloween! Dias melhores e platéias (mais atentas, entusiasmadas, numerosas,e tudo de bom) virão! Espero, inclusive, um dia poder vir a fazer parte de uma platéia dessas. Um grande beijo para todos e pé na estrada. Vamos em frente que atrás vem gente... AdrianaOi, Laura. Estou acompanhando vocês desde o início da viagem. Vi que vocês tiveram boas experiências em relação às platéias e outras nem tanto assim...mas fiquei triste com o seu comentário sobre este último show. Não desanimem! Foram as bruxas do halloween! Dias melhores e platéias (mais atentas, entusiasmadas, numerosas,e tudo de bom) virão! Espero, inclusive, um dia poder vir a fazer parte de uma platéia dessas. Um grande beijo para todos e pé na estrada. Vamos em frente que atrás vem gente... Adriana

laura r. disse...

Adriana, obrigada, mil vezes. Muito simpático o teu comentário. E quer saber? As bruxas deviam estar soltas, mesmo! Olha só quantas vêzes foi repetido o teu comentário.... he he he!

Anônimo disse...

Também me deixa chateado o seu relato, Laura.
Vocês não vão se deixar abater, não é?
Geraldo (Termas do Gravatal)

Jaqueline Martins disse...

Laura, desculpe o meu comentário, mas o que aconteceu foi, uma falta de consideração total a pessoas que estão longe de casa, enfrentando todos os dias horas de viagem, hotéis e restaurantes , as vezes ruins, saudade da famíla, desconforto, e tudo mais! Além do local inadequado, a falta de divulgação, colocando vcs numa situação de constrangimento total.Uma pena mesmo!

Mario disse...

Laura, é isso aí (o comentário da jaqueline). Que falta de respeito e consideração! Ser bom significa também ser competente. Ao menos pediram desculpas? Mas, no balanço, creio que o placar deve estar mais ou menos 30 x 5 em favor dos eventos bem organizados e com públicos atentos e calorosos. A vida é assim mesmo, os bons concertos ficam ainda melhores quando podemos compará-los aos outros do tipo Carazinho.

Arnoud disse...

Não consigo imaginar o que é tocar para uma platéia tão pequena e desinteressada. Mas, talvez, tenha que haver alguns degraus assim, na escadaria do sucesso.
Quando vierem ao nordeste não deixem de avisar!

laura r. disse...

Arnoud
Vamos para o nordeste, sim.É a próxima etapa da nossa tournée. Qual a sua cidade?

Luh.. disse...

Bem, como boa carazinhense acabei achando este blog por acaso.
Mas, vamos ao que interessa. O povo carazinhense acha que o "point" é andar em circulos com o som a milhões de decibéis, outra coisa, não fiquei sabendo deste concerto, pois como apreciadora da boa música, certamente teria me movido até a Ulbra.
Peço desculpas pela ingenuidade e antepatia dos estudantes carazinhenses. Talvez seja por esse motivo que muitos caarzinhenses se dizem "excluídos".
Um grande abraço.
Luana.

Odonata Anisoptera disse...

Olá! Sou de Pato Branco :)
Que bom que gostou da cidade, hehehe...
Abraço!
Vani.