sábado, 13 de outubro de 2007

Vocês perguntam, a gente responde... com atraso


Em algum dos comentários perdidos blog afora, alguém me perguntou qual era a origem do nome Re-Toques, e eu acabei esquecendo de responder. Agora não consigo mais achar o post, para responder no lugar certo. Vai aqui mesmo, então.
O nome do nosso grupo foi bolado pela Sula, num dos ensaios lá em casa. Já o nome do recital, Nova Tímbrica, que define muito bem a sonoridade do grupo, foi sugerido pelo Assessor Técnico em Música do Departamento Nacional do SESC, Wagner Campos, compositor e instrumentista, cérebro e coração por trás da nossa tournée, e do Projeto SONORA BRASIL.

É dele o texto abaixo, que “catei” na Internet.

"Assim é que nenhuma outra linguagem artística ocidental vivenciou, ao longo deste século, maior divórcio entre produção e consumo do que a música contemporânea, tanto aquela escrita quanto a de tradição oral. Necessário se faz compreender a lógica que permeia os processos de produção e difusão da música hoje, engendrando, pois, estratégias de aproximação entre o público e o patrimônio sonoro de seu tempo, paralelamente a todo o processo generalizado de produção e difusão em massa de produtos padronizados, obsoletos e, por conseguinte, desqualificados, metas estas que fazem parte de um longo processo educativo, amplo e aprofundado.”

Taí, uma pessoa que põe em prática aquilo que professa. Gostei.

5 comentários:

Layla disse...

boa informação, gostei muito.

Layla disse...

e a flor é muito linda! Uma orquídea?

laura r. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
laura r. disse...

Não, Layla, é uma íris. E na verdade ela era mais amarelinha, a foto não ficou boa....

cristina magrassi disse...

Acho que já perguntei isso, mas não lembro de vc ter respondido. Quando o Re-toques se apresentará no Rio?